sexta-feira, março 20, 2009

A Anta


Em dia de aniversário, vale a reportagem a fazer pensar as leis que se foram registando ao longo dos tempos sobre a relação do Homem com Deus, a ideia de uma vida para além da morte, o respeito pelos espíritos dos que se foram, ou tão só o respeito pelo repouso daqueles que viveram antes de nós e nos possibilitaram o simples facto de estarmos aqui.


O Parque Nacional da Serra d’Aire e Candeeiros é o exemplo acabado das potencialidades que este país oferece a um turismo de qualidade, espaço de reserva que o não é para os interesses que se sobrepõem às leis da nação, nichos ainda de beleza natural incompreensivelmente adulterada, rasgada por pedreiras que se afundam, alargam, já para não citar os parques eólicos a quem pessoalmente dou o benefício da dúvida pela necessidade imperiosa da energia não poluente – do ar, que não dos olhos.


As imagens foram colhidas nas faldas da serra, algures pelas Alcobertas, onde existem grutas lindíssimas há longos anos fechadas, abandonadas, por incapacidade de organização condigna de visitas devidamente acompanhadas para contenção dos atentados às belezas das estalagmites e estalactites vandalizadas.


Aqui, uma igreja cresceu no território de um dólmen, recolhendo no seu interior, gentilmente, piedosamente, o monumento fúnebre ateu, evangelizando-o, ligando-o ao interior da nave principal, colocando-lhe um altar cristão, enfeitando-o a azulejo, cobrindo-o com telha…!


Sem mais, pois deixo os comentários para os fiéis de qualidade que o meu lugar foi cativando ao longo destes – já! – três anos de escrita!









10 comentários:

M. disse...

Apropriações resultantes de não saber viver lado a lado com o que pertence ao mundo na sua variedade de espaços espirituais?

tinta permanente disse...

Está nas minha lista de prioridades a rever e a aproveitar para umas fotografias mais catar umas coisas do-arco-da-velha...
Belas, as fotografias!

abraços!

Justine disse...

Andaste então pelos "meus" lados!!!
A Serra d'Aire é um manacial inesgotável de beleza e surpresas (boas e más)...
(Curiosamente tb andei pelos teus lados - mostrarei a lagoa para a semana:)) )
Abraço de PARABÉNS!!

Rafael disse...

Eu sempre desejei conhcer o outro lado do mar. Se Deus quiser, conhecerei.

dona tela disse...

Tudo isto nas faldas?

Viva a Primavera!

Rui Caetano disse...

Muito bonito.

heretico disse...

a metamorfose dos tempos. e das paisagens e culturas.

somos essa arqueologia de vivências. que perduram nos olhos de quem as ama. como tu fazes...

e o belo texto testemunha.

beijos

bettips disse...

E cá está a "pobreza" de meios aproveitada para algo de espiritual. Necessário é que as memórias se conservem e sirvam de abrigo a quem as procura, dolmen ou capela.
Tão bonita de ver esta tua reportagem!
(não conheço... mas gostava...)

Teresa David disse...

AGORA FIQUEI MUITO MAIS ESCLARECIDA SOBRE O ESPAÇO. MAS NÃO DEIXA DE SER ABARRENTE ESTAR COLADA Á IGREJA.

mena m. disse...

Parabéns pelo aniversário do blog e obrigada por tudo o que aqui tens partilhado connosco!

Tanta coisa ainda por ver por esse Portugal fora, vou assentando no meu livrinho de desejos...

Parece que a igreja está grávida desta anta...

Beijinhos