segunda-feira, maio 14, 2007

Lembrando Cláudia


Ilumina-se a igreja por dentro da chuva deste dia,

E cada vela que se acende é mais chuva a bater na vidraça…


(…)

A missa é um automóvel que passa

Através dos fiéis que se ajoelham em hoje ser um dia triste…

Súbito vento sacode em esplendor maior

A festa da catedral e o ruído da chuva absorve tudo

Até só se ouvir a voz do padre perder-se ao longe

Com o som de rodas de automóvel…


E apagam-se as luzes da igreja

Na chuva que cessa…

Fernando Pessoa



Encontro-me frequentemente com Fernando Pessoa. Pode parecer, mas ele não é pessoa com quem me identifique, que o encontro demasiado deprimido, desiludido, pessimista enfim.

Porém ferozmente verdadeiro.

Aqui e além eu sou ele, mau grado tudo o mais que nos separa. Tenho assim de aceitá-lo como um dos meus poetas preferidos, tendo então de compreender por que é tão estudado, falado, contestado, referido, cantado, por que tão universal.

No último post, transcrevi Pessoa para contextualizar uma frase sobejamente conhecida por todos, citada por alguns, muitos, sem que saibam de onde foi extraída. É aqui muito mais sentida, muito mais forte, muito mais intensa.

Camões foi grande e permanece, porque cantou todos os males de amor sempre reinventados. Pessoa foi ainda mais fundo, muito mais real, seco, directo, profundo.

Poeta das sensibilidades, das sensações, revejo nele Camus, o eterno étranger que sente, sente, percepciona apenas as sensações, e passa. Passa, sem que reparem nele, sem que vejam na sua figura simples, fugaz, toda a imensidão que lhe vai na alma.

Para alguns, a vida é curta e breve.

O sofrimento é parte das nossas vidas, diz na missa o sacerdote católico.

Ler é evasão, esquecimento breve. Escrever é lenitivo para a dor.

Quem dera hoje a mão de Pessoa!

Mas ele já disse tudo.

4 comentários:

A.S. disse...

Como te compreendo! Dir-se-ia que há um Pessoa dentro de nós!!!


Um BeijO...

vidavivida disse...

Para alguns, a vida é curta e breve, é bem verdade amiga, geralmente para quem não merecia.

O Deus que quer isso para os humanos, esse não será certamente o meu DEUS, por isso creio no meu.

Não há nenhum poder a desafiar a acção de Deus.

naturalissima disse...

DEUS se existe é só "um"... em cada um de nós, sem dúvida!
E nós temos a nossa própria caminhada, a cumprir em cada vida vivida.

como sempre, agrada-me ler-te.
e porque vim numa fugida, deixo-te um beijinho e o desejo de uma bela semana.
até
Daniela

Nélia disse...

Caro(a)s Bloggers,


A NEGRA TINTA EDITORIAL tem o grato prazer de lançar a obra “CÂMARA ESCURA (revelação), do poeta Joaquim Amândio Santos, com prefácio de António Lobo Xavier.

Sendo esta obra mais um trabalho nascido de um escritor cuja carreira foi lançada na blogosfera, a exemplo das edições previstas e possíveis no futuro próximo desta editora, será importante contarmos com a honra da presença de bloggers nas diversas acções de lançamento da obra.

Nesse sentido, solicitávamos indicação de morada ou preferência por receber o convite por mail para negratinta@gmail.com, bem como qual dos eventos escolhem para nos honrar com a sua presença.

Lançamento e Apresentações:

31 de Maio Funchal
8 de Junho Penafiel
14 de Junho FNAC Norteshopping, Porto
28 de Junho FNAC Chiado, Lisboa
5 de Julho FNAC Coimbra


Aproveitámos ainda para solicitar que qualquer manuscrito que entendam colocar à consideração desta editora para possível publicação, seja enviado por este mail, ao meu cuidado, estando previsto editarmos até 4 obras, nascidas na blogosfera, até Março de 2008.

Saudações Literárias,

Nélia Maria Pereira
Edições e Comunicação
NEGRA TINTA EDITORIAL