sexta-feira, julho 18, 2014

SOBREVIVÊNCIA



 
O mistério das coisas? Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o sol
E a pensar muitas coisas cheias de calor.
Mas abre os olhos e vê o sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos
De todos os filósofos e de todos os poetas.
A luz do sol não sabe o que faz
E por isso não erra e é comum e boa.
Alberto Caeiro


 

Ontem foi preciso fazer chantilly para cobrir o bolo de noz, e sumo de limão é imprescindível na clara de ovo para o sucesso desejado.

Abri o limão e logo reparei numa lagarta verde, pequeníssima, bem no centro. Olhei a outra metade e, também ali, qualquer coisa verdejava na coloração suave dos gomos. Tirei os óculos (sim, tirei os óculos) para ver melhor e, aquilo que me pareceu uma lagarta impertinente, não passava de uma semente germinada!

Saltei anos no tempo. Vi uma papaia de coloração intensa, alaranjada, aberta ali na varanda, acabada de chegar da horta, e as sementes já irrequietas, apressadas, ainda no útero querendo crescer, já cheias de verde, de vida. E meu pai, meu pai chamando a atenção dos meninos para a prodigalidade da terra, naquela hora e sempre deslumbrado com uma natureza pujante, naturalmente produtiva, numa dádiva perene.

A Terra aqueceu, dizem os cientistas e nós vamos sentindo. E o limão retirado da árvore, parece tê-los escutado e vá de comportar-se já como nascido nos trópicos. É só um limão, mas reage como ser vivo aos factores que condicionam a sua existência. Como os animais reagem para a procriação consoante o tempo a abundância de alimento.

Como os homens inteligentes deixam de procriar quando têm baixas remunerações, quando não têm condições de trabalho que lhes permita assegurar a sobrevivência das suas crias.


3 comentários:

heretico disse...

a natureza é sábia - "imita" a tua escrita...

beijo

ograpiuna disse...

Sabes, eu concordo que "os homens inteligentes deixam de procriar quando têm baixas remunerações, quando não têm condições de trabalho que lhes permita assegurar a sobrevivência das suas crias", eu até queria ter filhos, mas a cada dia que passa viver fica mais difícil; naturalmente.
Gostaria muito que minha Sofia tivesse uma irmã, e essa suposta irmã teria o nome de Helen.

\0/ abraços com muito afeto.

Rocha de Sousa disse...


Parece-me que li no Pessoa algo assim:

O único mistério é não haver mistério
nenhum.