sábado, março 25, 2006

Prosaísmo


Coimbra do Choupal / ainda és capital / do amor em Portugal /ainda
Coimbra onde uma vez / com lágrimas se fez / a história dessa Inês / tão linda
Coimbra das canções / tão meigas que nos pões / os nossos corações / a nu
Coimbra dos doutores / p’ra nós os teus cantores / a fonte dos amores / és tu

Coimbra é uma lição
De sonho e tradição
O Lente é uma canção
E a Lua a Faculdade
O livro é uma mulher
Só passa quem souber
E aprende-se a dizer
Saudade
Fado (filme «Capas Negras»)



Quando a tarde se espreguiça num dia mais longo e as roseiras ainda não floriram, acontece o repetir de saudades já mortas ou que nunca o foram.

Quatro décadas em comum não esgotam afectos nem histórias recontadas, daí valer a pena marcar mais fundo num sorriso, as marcas do tempo nos rostos.

Algures pelos anos cinquenta, os estudantes universitários que se ficavam pelo «parecê-lo» acabavam por assentar praça, sem apelo nem agravo.

Parece que havia em Coimbra, no Regimento de Santa Clara, um oficial superior muito zeloso da sua horta. Desgostoso com o assédio das lagartas ao seu couval, destacou três elementos recém-incorporados da estudantina, para o combate ao inimigo que, pela calada da noite, atacava as suas couves.

Munidos de uma lanterna de mão, iniciaram a patrulha da zona, devidamente organizados nas suas tarefas: o primeiro identificava o atacante, o segundo colocava-o no solo e o terceiro esmagava-o com a bota.

Vozes de comando em três timbres soavam na noite, atroando o Choupal:

– Atenção lagarta!
– Lagarta aqui!
– Lagarta abatida!
– Atenção lagarta!
– Lagarta aqui!
– Lagarta abatida!
– Atenção lagarta!
– Lagarta aqui!
– Lagarta abatida…

1 comentário:

dakidali disse...

Pois é os estudantes andam revoltados com o Processo de Bolonha . Já escrevi no meu blog sobre isso. Este País anda às avessas.Será que anda por aí algum virus da cópia de outros sistemas? Será que por aqui ninguém tem capacidade de reinventar um sistema compatível com a cultura que temos?
Bom fim de semana.
Até amanhã
Beijinhos
Teresa